Regístrese
Buscar en
Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial
Toda la web
Inicio Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial #124. Abordagem terapêutica da Estomatite Aftosa Recorrente
Journal Information
Vol. 57. Issue S1.
Pages 51 (December 2016)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 57. Issue S1.
Pages 51 (December 2016)
DOI: 10.1016/j.rpemd.2016.10.121
Open Access
#124. Abordagem terapêutica da Estomatite Aftosa Recorrente
Visits
1006
Camila Carvalho, Otília Pereira‐Lopes, Elisabete Barbosa*, Francisco Correia, Filipe Coimbra
Faculdade de Medicina Dentária, Universidade do Porto
This item has received
1006
Visits

Under a Creative Commons license
Article information
Full Text

Objetivos: Sumariar as opções terapêuticas disponíveis para o tratamento da estomatite aftosa recorrente, criar um algoritmo com os fármacos existentes em Portugal, com ênfase à abordagem que está ao alcance do médico dentista e que possa ser consultado facilmente. Este trabalho pretende também avaliar a forma como o paciente que padece desta afeção gere a sua patologia a nível terapêutico, utilizando como amostra de estudo os alunos do mestrado integrado em Medicina Dentária da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto (FMDUP) que tenham, ou que já tiveram, pelo menos um episódio de estomatite aftosa recorrente. Pretendemos também perceber até que ponto os alunos de 4.° e 5.°ano da faculdade, como futuros profissionais de saúde oral, se sentem preparados para tratar pacientes com estomatite aftosa recorrente.

Materiais e métodos: Trata‐se de um estudo observacional, descritivo e transversal, realizado numa amostra de estudo que incluiu todos os alunos do mestrado integrado da FMDUP, que declarassem ter tido pelo menos um episódio de estomatite aftosa recorrente no último ano. O presente estudo decorreu entre 14/3/16 e 18/3/16 e foram obtidos 56 inquéritos.

Resultados: Verifica‐se uma prevalência 3 vezes superior no género feminino. A maioria (70%) declara que as aftas cicatrizam entre 4‐10 dias. A maioria (97%) utiliza medicamentos de aplicação tópica. A maioria (56%) declarou ter conhecimentos teóricos, embora não os saiba aplicar na prática clínica.

Conclusões: O tratamento da estomatite aftosa recorrente deve ser individualizado, de forma a maximizar os benefícios terapêuticos e minimizar os efeitos adversos. Foi criado um algoritmo para o tratamento da estomatite aftosa recorrente. A educação continuada dos médicos dentistas generalistas deve ser orientada para aumentar o seu conhecimento no diagnóstico e tratamento desta doença.

Article options
Tools
es en pt

¿Es usted profesional sanitario apto para prescribir o dispensar medicamentos?

Are you a health professional able to prescribe or dispense drugs?

Você é um profissional de saúde habilitado a prescrever ou dispensar medicamentos

es en pt
Política de cookies Cookies policy Política de cookies
Utilizamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios y mostrarle publicidad relacionada con sus preferencias mediante el análisis de sus hábitos de navegación. Si continua navegando, consideramos que acepta su uso. Puede cambiar la configuración u obtener más información aquí. To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.