Buscar en
Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial
Toda la web
Inicio Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial #116. Análise descritiva da microtopografia da liga aço inoxidável imersa em ...
Journal Information
Vol. 57. Issue S1.
Pages 48 (December 2016)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 57. Issue S1.
Pages 48 (December 2016)
DOI: 10.1016/j.rpemd.2016.10.113
Open Access
#116. Análise descritiva da microtopografia da liga aço inoxidável imersa em saliva artificial
Visits
...
Saúl Castro*, Mário Vasconcelos, Eugénio Martins, Maria João Ponces, Afonso Pinhão Ferreira, Maria Cristina Pollmann
FMDUP
Article information
Full Text

Objetivos: A rugosidade e irregularidade da superfície de arcos estão correlacionadas positivamente com a sua corrosão. Para resistir ao processo de corrosão, as ligas de aço inoxidável dependem da formação de um filme passivo de óxido à superfície. Mas mesmo com esta proteção, alguns iões ainda podem ser libertados, não só porque esta camada protetora é suscetível a disrupção mecânica, mas também porque o filme de óxido pode reagir e/ou dissolver‐se na exposição ao ambiente circundante. Pretendeu‐se testar o efeito da saliva e pH (4 e 6,75) no tempo (3 e 5 meses), através de uma análise descritiva da microtopografia da liga aço inoxidável (ORMINOX®, Ormco) de secção 0,017??x0,025??, com recurso a microscopia eletrónica de varrimento.

Materiais e métodos: As imagens com ampliação 5.000x foram obtidas por microscopia eletrónica de varrimento, realizadas no Centro de Materiais da Universidade do Porto, com um aparelho da marca JEOLJSM6301F. A saliva artificial foi preparada laboratorialmente, na Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto. Os acertos de pH=6,75 e pH=4 foram obtidos através da adição de ácido láctico. O acondicionamento das amostras (saliva e arame) foi realizado em ambiente esterilizado, com recurso a câmara de fluxo. As placas de cultura com as amostras foram colocadas em estufa a 37°C, em atmosfera húmida contendo 5% de CO2, do laboratório de Metabolismo e Regeneração Óssea da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto, durante 3 e 5 meses.

Resultados: A ampliação de 5.000x está de acordo com o método utilizado por Juvvadi et al. na observação por microscopia de fios ortodônticos. Comparando todas as imagens, a imagem respeitante ao arame antes da imersão é a que apresenta sinais de irregularidade mais profundos. Não são evidentes diferenças assinaláveis entre as imagens alusivas a pH 4 e pH 6,75. Relativamente ao tempo de imersão, não é facilmente evidente uma diferença entre os 3 e os 5 meses de imersão. As imagens da condição 3 meses parecem evidenciar mais irregularidades com mais profundidade. A diminuição das irregularidades pode estar associada à possibilidade do filme de óxido presente à superfície poder reagir e/ou dissolver‐se na exposição ao meio ambiente.

Conclusões: A imersão em saliva resulta numa evidente diminuição das irregularidades, relativamente à imagem antes da imersão. Para o efeito pH não se verificam diferenças significativas, enquanto no fator tempo essas diferenças são muito ténues.

Article options
Tools
es en pt

¿Es usted profesional sanitario apto para prescribir o dispensar medicamentos?

Are you a health professional able to prescribe or dispense drugs?

Você é um profissional de saúde habilitado a prescrever ou dispensar medicamentos