Buscar en
GE - Portuguese Journal of Gastroenterology
Toda la web
Inicio GE - Portuguese Journal of Gastroenterology Parasitose intestinal: causa rara de hemorragia digestiva
Journal Information
Vol. 21. Issue 6.
Pages 261-262 (November - December 2014)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 21. Issue 6.
Pages 261-262 (November - December 2014)
Instantâneo endoscópico
DOI: 10.1016/j.jpge.2014.06.002
Open Access
Parasitose intestinal: causa rara de hemorragia digestiva
Small bowel parasitosis: a rare cause of gastrointestinal bleeding
Visits
...
Joana Moleiroa,
Corresponding author
joana_moleiro@hotmail.com

Autor para correspondência.
, Susana Mão de Ferrob, Sara Ferreirab
a Serviço de Gastrenterologia, Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil, EPE, Lisboa, Portugal
b Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil, EPE, Lisboa, Portugal
Article information
Full Text
Bibliography
Download PDF
Statistics
Figures (1)
Full Text

Em doentes com hemorragia digestiva, e na ausência de alterações na endoscopia digestiva alta e na colonoscopia, há indicação para o estudo do intestino delgado com enteroscopia por videocápsula1. Os autores descrevem um caso clínico em que a realização da videocápsula endoscópica revelou um achado particular.

Doente de 51 anos, sexo feminino, natural e residente em Portugal, trabalhadora rural, com queixas de dor epigástrica, melenas e astenia com 3 semanas de evolução, sem outra sintomatologia, culminando com um episódio de lipotimia que motivou a admissão hospitalar. Trata‐se de uma doente sem história de viagens ao estrangeiro e residente em habitação com boas condições sanitárias. Laboratorialmente apresentava anemia ferropénica (Hb 5,7g/dl, VGM 78fl, fórmula leucocitária normal, ferro sérico 22μg/dl e ferritina 12ng/ml), sem outras alterações. Após suporte transfusional realizou endoscopia digestiva alta e colonoscopia que não revelaram alterações. A enteroscopia por videocápsula identificou no íleo vários parasitas filiformes com cerca de 6mm, ancorados à mucosa e com conteúdo hemático no seu interior – fig. 1, compatíveis com ancilostomíase. Foi iniciada terapêutica anti‐helmíntica, após o que se verificou o aumento progressivo e normalização do valor da hemoglobina e resolução dos sintomas iniciais.

Figura 1.

Enteroscopia por videocápsula: múltiplos parasitas filiformes e esbranquiçados, alguns deles ancorados à mucosa e com conteúdo hemático no seu interior.

(0.16MB).

A ancilostomíase afeta milhões de pessoas em todo o mundo e é reconhecida como um importante problema de saúde pública, em especial nos países em vias de desenvolvimento2. É causada maioritariamente por 2 agentes: Ancylostoma duodenale (A. duodenale) e Necator americanus (N. americanus). Embora existam algumas diferenças entre estes agentes, o diagnóstico diferencial baseado nas características morfológicas pode ser difícil. Contudo, o A. duodenale é o único nemátodo na Europa Mediterrânica3 pelo que na ausência de viagens para áreas endémicas para o N. americanus assumimos infestação pelo primeiro. Após alcançarem o tubo digestivo, os parasitas adultos fixam‐se à mucosa do intestino através das suas peças dentárias, ingerindo sangue a uma velocidade de 0,01‐0,3ml/dia, sendo que a ocorrência de hemorragia digestiva é facilitada pela capacidade de segregação de substâncias anticoagulantes e inibidores da agregação plaquetária4. Dependendo da carga parasitária, da duração da infeção e das reservas inicias de ferro do hospedeiro, as manifestações clínicas são variadas e vão desde a infeção assintomática até às perdas sanguíneas crónicas com anemia grave. O seu diagnóstico é, habitualmente, efetuado com exame parasitológico das fezes, verificando‐se falsos negativos em cerca de 40% dos casos5. Com o presente caso, os autores chamam a atenção para o facto da infeção por A. duodenale poder ser equacionada em doentes com hemorragia digestiva, mesmo em áreas não endémicas.

Responsabilidade éticasProteção de pessoas e animais

Os autores declaram que para esta investigação não se realizaram experiências em seres humanos e/ou animais.

Confidencialidade dos dados

Os autores declaram ter seguido os protocolos do seu centro de trabalho acerca da publicação dos dados de pacientes.

Direito à privacidade e consentimento escrito

Os autores declaram ter recebido consentimento escrito dos pacientes e/ou sujeitos mencionados no artigo. O autor para correspondência deve estar na posse deste documento.

Conflito de interesses

Os autores declaram não haver conflito de interesses.

Bibliografia
[1]
L. Fisher, M. Lee Krinsky, M.A. Anderson, V. Appalaneni, S. Banerjee, T. Ben-Menachem, et al.
The role of endoscopy in the management of obscure GI bleeding.
Gastrointest Endosc, 72 (2010), pp. 471-479
[2]
J. Bethony, S. Brooker, M. Albonico, S.M. Geiger, A. Loukas, D. Diemert, et al.
Soil‐transmitted helminth infections: Ascariasis, trichuriasis, and hookworm.
Lancet, 367 (2006), pp. 1521-1532
[3]
D.T. Jonh, W.A. Petri.
The intestinal nematodes. Markell and Voge's Medical Para sitology.
9th ed., Saunders Elsevier, (2014), pp. 239-273
[4]
M. Feldman, L.S. Friedman, L.J. Brandt.
Sleisenger and fordtran's gastrointestinal and liver disease ‐ pathophysiology diagnosis management.
9th edition, Saunders Elsevier publications, (2010),
[5]
C.J. Kucik, G. Martin, B. Sortor.
Common intestinal parasites.
Am Fam Physician, 69 (2004), pp. 1161-1168
Copyright © 2014. Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia
Article options
Tools
es en pt

¿Es usted profesional sanitario apto para prescribir o dispensar medicamentos?

Are you a health professional able to prescribe or dispense drugs?

Você é um profissional de saúde habilitado a prescrever ou dispensar medicamentos