Regístrese
Buscar en
Angiologia e Cirurgia Vascular
Toda la web
Inicio Angiologia e Cirurgia Vascular «Pullout syndrome» — Pseudo-aneurisma anastomótico axilar
Journal Information
Vol. 10. Issue 1.
Pages 30-32 (March 2014)
Share
Share
Download PDF
More article options
Visits
1600
Vol. 10. Issue 1.
Pages 30-32 (March 2014)
DOI: 10.1016/S1646-706X(14)70030-8
Open Access
«Pullout syndrome» — Pseudo-aneurisma anastomótico axilar
Pullout syndrome” — Axillar anastomotic pseudo-aneurysm
Visits
1600
Pedro Martinsa,
Corresponding author
pmalvesmartins@hotmail.com

Autor para correspondência
, Gonçalo Sobrinhoa, Tiago Ferreiraa, Viviana Manuela, José Romeub, Augusto Ministroa, José Silva Nunesa, José Fernandes e Fernandesa,c
a Clínica Universitária de Cirurgia Vascular, Hospital de Santa Maria, Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), Lisboa, Portugal
b Serviço de Reumatologia, Unidade de Internamento, Hospital Santa Maria, Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), Lisboa, Portugal
c Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal
This item has received
1600
Visits

Under a Creative Commons license
Article information
Full Text
Bibliography
Download PDF
Statistics
Figures (5)
Show moreShow less
Full Text
Introdução

Após a descrição inicial por Blaisdell e Hall1 nos anos 60 o bypass axilo-femoral tornou-se alternativa extra-anatómica à revascularização aórtica in situ, nomeadamente, no contexto de infecção protésica aórtica ou de doentes de frágil condição e elevado risco cirúrgico.

A primeira disrupção da anastomose proximal axilar foi divulgada por Daar e Finch no final da década de 70 2 e desde então alguns casos raros foram descritos promovendo um debate intenso sobre os aspectos bio-mecânicos envolvidos nesta forma de revascularização3–5.

Caso clínico

Homem de 70 anos, ex-fumador (100 UMA) com neoplasia pulmonar sob quimioterapia, status post crossover direitaesquerda por claudicação incapacitante (2009) removido passados 5 anos por trombose e infecção protésica (Staphylococcus aureus sensível a meticilina - MSSA), com revascularização associada através de bypass axilo-femoral superficial esquerda com prótese de politetrafluoretileno (PTFE) de 8mm. Após 2 meses da última intervenção o doente foi admitido com o diagnóstico de artrite séptica sub-astragalina esquerda (MSSA no líquido articular), cujo internamento se complicou abruptamente ao 2° dia por massa infra-clavicular esquerda, correspondente ao trajecto proximal do bypass axilo-femoral.

Objectivamente apresentava volumosa massa pulsátil e expansível indolor infra-clavicular esquerda, com enxerto pulsátil e pulsos distais presentes no membro inferior esquerdo. A avaliação por «Triplex Scan» e angioTC mostraram disrupção completa da anastomose axilar e migração distal da prótese axilo-femoral permeável (figs. 1 e 2).

Figura 1.

Falso aneurisma axilar, migração distal protésica (seta) e fluxo no canal do prévio trajecto de bypass

(0.09MB).
Figura 2.

Aspecto do estudo por angioTC com o início da prótese evidenciada pela seta

(0.04MB).

Prontamente abordou-se por via supra-clavicular a artéria subclávia proximal, por via infra-clavicular a artéria axilar distal (fig. 3) e por incisão na parede lateral do tórax o enxerto protésico, permitindo a ressecção do falso aneurisma (composto pela cápsula fibrosa de incorporação protésica - fig. 4). Foi implantado um patch venoso na artéria axilar e reconstruído o bypass axilo-femoral por interposição de segmento de PTFE de 8mm (fig. 5).

Figura 3.

Controlo proximal e distal ao falso aneurisma axilar

(0.13MB).
Figura 4.

Ressecção de falso aneurisma e aspecto da artéria axilar (seta)

(0.22MB).
Figura 5.

Aspecto final da reconstrução proximal

(0.14MB).
Comentários

O «pullout syndrome» deve-se ao stress aplicado sobre a anastomose axilar pelos movimentos associados do membro superior e inferior, culminando na disrupção anastomótica proximal de bypass axilo-femoral, complicação rara e temível. Desta forma criou-se a necessidade de implementar progressivas alterações à técnica inicial de Blaisdell e Hall1 para minimizar a sua incidência.

Bibliografia
[1.]
F.W. Blaisdell, A.D. Hall.
Axillary-femoral artery bypass for lower extremity ischemia.
Surgery, 54 (1963), pp. 563-568
[2.]
A.S. Daar, D.R.A. Finch.
Graft avulsion: an unreported complication of axillofemoral bypass grafts.
Br J Surg, 65 (1978), pp. 442
[3.]
G.H. White, C.E. Donayre, R.A. Williams, et al.
Exertional disruption of axillofemoral graft anastomosis: “the axillary pullout syndrome”.
Arch Surg, 125 (1990), pp. 625-627
[4.]
L.M. Taylor, T.C. Park, J.M. Edwards, et al.
Acute disruption of polytetrafluoroethylene grafts adjacent to axillary anastomoses: a complication of axillofemoral graf ting.
J Vasc Surg, 20 (1994), pp. 520-528
[5.]
T.O. Oshodi, J.S. Abraham, J.F. Kelly.
Axilla false aneurysm following late anastomotic disruption of an old axillofemoral bypass graft.
Eur J Vasc Surg, 20 (2000), pp. 492-493
Copyright © 2014. Sociedade Portuguesa de Angiologia e Cirurgia Vascular
Article options
Tools
es en pt

¿Es usted profesional sanitario apto para prescribir o dispensar medicamentos?

Are you a health professional able to prescribe or dispense drugs?

Você é um profissional de saúde habilitado a prescrever ou dispensar medicamentos

es en pt
Política de cookies Cookies policy Política de cookies
Utilizamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios y mostrarle publicidad relacionada con sus preferencias mediante el análisis de sus hábitos de navegación. Si continua navegando, consideramos que acepta su uso. Puede cambiar la configuración u obtener más información aquí. To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.